quinta-feira, 26 de julho de 2012

curtindo as férias



Estamos aproveitando nossas férias!!!!Curta também , aproveite para recarregar suas energias...bjs

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Agradecimento à todas Educadoras

Concluindo com a turma dez



Concluímos mais um ciclo de oficinas do primeiro semestre com a décima turma. Nesta primeira etapa Deus me concedeu o privilégio de capacitar mais de cinquenta Educadores, dez Coordenadores do Departamento
e quinze coordenadores Pedagógicos. É...não esperava por tanto...Agradeço imensamente a Deus,  Leila por ter dado esta oportunidade divina e à todas as Profissionais de Ensino comprometidas com a Educação do nosso Município de Itaguaí.Que venha o segundo semestre.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Oficina para Coordenação Pedagógica






Hoje a Oficina sobre Reforma Ortográfica foi direcionada aos Coordenadores das Unidades Escolares do nosso Município.  Nossa formação continuada atende aos docentes e toda equipe pedagógica. Assim, nosso produto final, o aluno, sempre ganha. Parabéns à todas pela presença e participação.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Oficina na Escola M. F. Santa Cândida



Deus é maravilhoso, sempre colocando na minha vida  pessoas maravilhosas , ganhei até uma ajudante(foto 2). Mais uma vez, parabéns à todas!!!!!!!

Oficina na Escola M. Fazenda Santa Cândida




.
Hoje tive o prazer de ministrar a oficina de Reforma Ortográfica com a Equipe da Escola M.Fazenda Santa Cândida. Foi ótimo! A Escola é linda e a equipe é maravilhosa. Parabenizo à Dirigente Escolar.
Márcia parabéns, que Deus  te abençoe sempre.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Charge Reforma Ortográfica

Reforma Ortográfica

Oficina Reforma Ortográfica

Resumo de Tipologia Textual e exercícios

Texto Narrativo (sequência de fatos)

  • Conta como aconteceu, acontece ou acontecerá algo (real ou imaginário);
  • É necessário uma introdução, um clímax e um desfecho;
  • O enredo é prioridade;
  • Fundamental é situar o tempo e o espaço físico onde ocorrem os fatos;
  • Dar preferência ao verbo de ação, ao dinamismo, para tornar mais viva a narrativa;
  • O pretérito perfeito e o mais-que-perfeito do indicativo predominam na narrativa;
  • O autor adota a postura de narrador.
=> Texto Descritivo (sequência de aspectos)
  • Descreve como é um objeto, uma pessoa, uma paisagem, uma cena...;
  • Apresenta o cheiro, a cor, as sensações como aspectos importantes;
  • A finalidade da descrição é fazer ver e sentir;
  • O presente do indicativo e/ou pretérito imperfeito do indicativo predominam na descrição;
  • Os adjetivos estão sempre presentes no texto;
  • O autor adota a postura de observador.
=> Texto Dissertativo (sequência de análises)
  • Texto objetivo;
  • Convence o leitor por meio de fatos, dados estatísticos, citações, publicações...;
  • O predomínio verbal é o presente do indicativo e do subjuntivo;
  • O autor adota a postura de argumentador.
Exercícios

1. (EV) Sobre o texto narrativo, pode-se afirmar:
a) A estrutura textual é semelhante ao texto descritivo
b) A postura do autor é de argumentador
c) Há, exaustivamente, o uso de presente do indicativo.
d) Não apresenta clímax em sua estrutura
e) O enredo é prioritário

2. (EV) O predomínio de adjetivações é comumente encontrado no texto:
a) Narrativo
b) Informativo
c) Descritivo
d) Dissertativo
e) Epistolar

3. (EV) Duas características são representativas do modo de organização dissertativa, assinale-as:
a) Introdução e clímax
b) Argumentação e sensação
c) Seqüência de fatos e de aspectos
d) Verbos de ação e objetividade
e) Convencimento e descrição

4. (EV) Leia o texto a seguir:
Parceria Reeditada
"Viviane Pasmanter estreou na TV em 91, na novela “Felicidade”, de Manoel Calos, dirigida por Denise Saraceni. Ela deverá voltar a trabalhar com Denise em “Ciranda de pedra”, nova novela das 18h".
O Globo 08/02/08
A opção que melhor justifica o título do texto é:
a) o fato de Viviane Pasmanter ter estreado na TV em 1991.
b) de a atriz ter sido dirigida por Denise Saraceni.
c) por ter trabalhado com Denise Saraceni na novela “Felicidade”
d) por ter trabalhado com Denise Saraceni em “Felicidade” e trabalhar novamente com ela em “Ciranda de pedra”.
e) Viviane Pasmanter trabalhar em uma novela de Manoel Carlos.

5. (EV) O verbo estrear aparece conjugado no texto (estreou). Indique o modo e o tempo a que pertence este verbo.
a) indicativo / presente
b) subjuntivo / pretérito imperfeito
c) indicativo / pretérito imperfeito
d) indicativo / pretérito perfeito
e) imperativo / afirmativo

6.(EV) O uso das aspas em alguns vocábulos do texto é justificado por/pela:
a) sempre se usa com os substantivos.
b) participação de Viviane em novelas da TV Globo.
c) não estar empregada em seu sentido original
d) participar duas vezes de novelas dirigidas por Denise Saraceni.
e) ser o nome da novela, por isso o uso das aspas.


7.(EV) No segmento: “Ela deverá voltar a trabalhar...”. O elemento sublinhado é classificado morfologicamente por:
a) artigo
b) preposição
c) pronome
d) advérbio
e) substantivo

8. (EV) “Ela deverá voltar a trabalhar com Denise...” O segmento destacado é classificado sintaticamente como:
a) Adjunto adverbial de modo
b) Adjunto adverbial de companhia
c) Adjunto adverbial de lugar
d) Adjunto adverbial de negação
e) Adjunto adverbial de pessoa

9. (EV) “Ela deverá voltar...”. A locução verbal pode ser substituída, sem alteração semântica, por um verbo simples, assinale-o:
a) volta
b) voltaria
c) voltará
d) poderá voltar
e) voltou

10. (EV) “Viviane Pasmanter estreou na TV...”. Nesse período o verbo “estreou” concorda com seu sujeito “ Viviane Pasmanter”, marque a alternativa em que tal concordância NÃO ocorre:
a) A atriz se atrasou para a peça.
b) Roberto Carlos cantou no Canecão.
c) Dá-se aulas de Língua portuguesa.
d) Edson Celulari ainda é fiel a Claudia Raia.
e) Suzana Vieira desfilou no carnaval.


11. Leia o texto a seguir:
Para fazer uma boa compra no ramo imobiliário, não basta ter dinheiro na mão. É imprescindível que o comprador seja frio, calculista e bem informado. Na hora de comprar um imóvel, a emoção é um dos maiores inimigos de um bom negócio. Assim, por mais que se goste de uma casa, convém manter sempre um certo ar de contrariedade. Se o vendedor perceber qualquer sinal de emoção, isso poderá custar dinheiro ao comprador. Não é por outra razão que quem compra para especular ou apenas para investir costuma conseguir um melhor negócio do que quem está à procura de um lugar para morar.

Segundo o texto:
a) Os vendedores, via de regra, buscam ludibriar os compradores, e vice-versa.
b) O vendedor costuma aumentar o preço do imóvel quando o comprador não está bem informado sobre o mercado de valores.
c) O mercado imobiliário oferece bons investimentos apenas para quem pretende especular.
d) No ramo imobiliário, uma atitude que aparente indiferença pode propiciar negócio mais vantajoso para o comprador.
e) No mercado imobiliário, o comprador realiza melhor negócio adquirindo uma propriedade de que não tenha gostado muito.

12. Segundo o mesmo texto:
a) Quanto maior a disponibilidade financeira do comprador, maior a probabilidade de sucesso no negócio imobiliário.
b) Disponibilidade econômica não é o único fator que possibilita a realização de um bom negócio.
c) O vendedor, por preferir negociar com investidores, desfavorece o comprador da casa própria.
d) Gostar de uma casa é psicologicamente importante em qualquer tipo de compra, seja ela para residência ou para investimento.
e) O mercado imobiliário oferece oportunidades mais seguras para o investidor que para o especulador.
GABARITO
1. E
2. C
3. D
4. D
5. D
6. E
7. B
8. B
9. C
10. C
11. D
12. B

Tipologia textual-Dissertação


  • DISSERTAÇÃO: dissertar é apresentar ideias, analisá-las, é estabelecer um ponto de vista baseado em argumentos lógicos; é estabelecer relações de causa e efeito. Aqui não basta expor, narrar ou descrever, é necessário explanar e explicar.


O raciocínio é que deve imperar neste tipo de composição, e quanto maior a fundamentação argumentativa, mais brilhante será o desempenho.


  • Estrutura:


a) Introdução: consiste na proposição do tema, da idéia principal, apresentada de modo a sugerir o desenvolvimento.
b) Desenvolvimento: consiste no desenvolvimento da matéria, isto é, discutir e avaliar as ideias em torno do assunto permitindo uma conclusão.
c) Conclusão: pode ser feita por uma síntese das idéias discutidas no desenvolvimento. É o resultado final.
  • Exigências para uma boa dissertação:
a) Conhecimento do assunto (adquirido através da leitura, da observação de fatos, do diálogo, etc.);
b) Reflexões sobre o tema, procurando descobrir boas ideias e conclusões acertadas;
c) Registrar ideias fundamentais numa sequência;
d) Acrescentar o que faltar, ou suprimir o que for supérfluo, desnecessário;
e) Desenvolvimento do plano com clareza e correção, mantendo sempre fidelidade ao tema

Tipologia textual-Narração

  • NARRAÇÃO: narrar é relatar fatos e acontecimentos, reais ou fictícios, vividos por indivíduos, envolvendo ação e movimento.
  • Estrutura:
a) Introdução: apresenta as personagens, localizando-as no tempo e no espaço.
b) Desenvolvimento: através das ações das personagens, constrói-se a trama e o suspense que culmina no clímax.
c) Conclusão: existem várias maneiras de se concluir uma narração, por exemplo, esclarecer a trama.
  • Características:
a) Verbos de ação, discursos direto, indireto e indireto livre.
b) Imaginação para compor uma história cativante que entretenha o leitor, provocando expectativa. Pode ser romântica, dramática ou humorística.
c) A narrativa deve tentar elucidar os acontecimentos, respondendo às seguintes perguntas essenciais:

  • O QUÊ? - o(s) fato(s) que determina(n) a história;
  • QUEM? - a personagem ou personagens;
  • COMO? - o enredo, o modo como se tecem os fatos;
  • ONDE? - o lugar ou lugares da ocorrência
  • QUANDO? - o momento ou momentos em que se passam os fatos;
  • POR QUÊ? - a causa do acontecimento.
  • Exemplos:
Além do espelho, lembranças.
Um dia, quando encerrava meu trabalho, fixei a atenção em um simples objeto da minha sala. Caminhei, paulatinamente, ao seu encontro e, à medida que me aproximava, sentia meu ego explodir em sensações indescritíveis.
Ali, diante dele, parei. Meu reflexo testemunhava as marcas do passado e trazia, à tona, as lembranças da infância e da adolescência. As imagens, agora, misturavam-se, comprometendo minha lucidez. Senti meu corpo flutuar e minha visão apagar-se, de forma que eu me concentrava em recordações, apenas.
Assim, momentos depois, revia meus irmãos e vizinhos correndo em volta da mesa, mamãe fazendo o jantar, papai,lendo o jornal, os cães brincando no jardim e, também, meus amigos de colégio, antigos casos amorosos.
Recuperei o bom senso, por um instante, mas não durou mais que isso, pois, novamente, brotam outros pensamentos: o nascimento dos filhos e a ascensão profissional.
Minutos depois, tudo acabara. Diante de mim havia só um espelho, cujo reflexo já não era de um cenário fantasioso de minha mente.

Tipologia textual-Descrição


TIPOLOGIA TEXTUAL


1) DESCRIÇÃO: é descrever um objeto, uma pessoa, um lugar. Requer observação cuidadosa, para tornar o que vai ser descrito em um modelo inconfundível, porém, não se trata de enumerar uma série de elementos, mas transmitir sensações, sentimentos. É criar o que não se vê, mas se percebe ou imagina; é não copiar friamente uma imagem, mas deixá-la rica, pois o ser e o ambiente são aspectos importantíssimos na descrição.
Existem duas possibilidades de descrição:
a) Descrição objetiva: quando o objeto, o ser, a cena, são apresentadas no seu sentido real. Exemplo: "Sua altura é 1,85m. Seu peso, 70Kg. Aparência atlética, ombros largos, pele bronzeada. Moreno, olhos negros, cabelos negros e lisos".

b) Descrição subjetiva
: quando há maior participação da emoção, ou seja, quando o objeto, o ser, a cena, a paisagem são apresentados em sentido figurado. Exemplo: "Nas ocasiões de aparato é que se podia tomar pulso ao homem. Não só as condecorações gritavam-lhe no peito como uma couraça de grilos. Ateneu! Ateneu! Aristarco todo era um anúncio; os gestos, calmos, soberanos, calmos, eram de um rei..."
("O Ateneu", Raul Pompéia)
  • Estrutura:
a) Introdução: a perspectiva do observador focaliza o ser ou objeto e distingue seus aspectos gerais.
b) Desenvolvimento: capta os elementos numa ordem coerente com a disposição em que eles se encontram no espaço, caracterizando-os objetiva e subjetivamente, física e psicologicamente.
c) Conclusão: não há um procedimento específico para conclusão. Considera-se concluído o texto quando se completa a caracterização.
  • Características:
a) Presença de Substantivos e Adjetivos.
O dia transcorria amarelo, frio, ausente do calor alegre do sol.

b) Frases curtas dão um tom de rapidez ao texto.

Vida simples. Roupa simples. Tudo simples. O pessoal, muito crente.

c) Sensibilidade para combinar e transmitir sensações física (cores, formas, sons, gestos, odores) e psicológicas (impressões subjetivas, comportamentos).

d) Verbos de estado

e) Linguagem metafórica

Exemplos:

Darcy Ribeiro (fragmento)


Um dos mais brilhantes cidadãos brasileiros, Darcy Ribeiro provou ao mundo que um homem de nada mais precisa além da coragem e da força de vontade para modificar aquilo que, por covardia, simplesmente ignoramos. Ouvi-lo, mesmo que por alguns instantes, nos levava a conhecer sua sabedoria e simplicidade, era um verdadeiro intelectual cuja convivência com os índios o fez adquirir invejável formação humanística.
Darcy tinha a pele clara, olhos negros e curiosos, lábios finos e trazia em seu rosto marcas de quem já deixou sua marca na história, as quais harmoniosamente faziam-lhe inspirar profunda confiança. Apesar de diabético e lutar contra dois cânceres, não fez disso desculpa para o comodismo ante os seus ideais maiores, ele sabia o que queria, e não mediu esforço para conseguir.




Descrição de Objeto – Clarinete (fragmento)
Um elemento clássico e imprescindível num concerto, o clarinete, com seu timbre aveludado, é o instrumento de sopro de maior extensão sonora, pelo que ocupa na banda de música o lugar do violino na orquestra.
O clarinete que possuo foi obtido após o meu nascimento, doado como presente de aniversário por meu bisavô, um velho músico, do qual carrego o nome sem tê-lo conhecido. O clarinete é feito de madeira, possui um tubo predominantemente cilíndrico formado por cinco partes dependentes entre si, em cujo encaixe prevalece a cortiça, além das chaves e anéis de junção das partes, de meta. Sua embocadura é de marfim com dois parafusos de regulagem, os quais fixam a palheta bucal.
Sua cor é confundivelmente marrom, havendo partes em que se encontra urna sensível passagem entre o castanho-claro e o escuro. Possuindo cerca de oitenta centímetros e pesando aproximadamente quatrocentos gramas, é facilmente desmontável, o que lhe confere a propriedade de caber numa caixinha de quarenta e cinco centímetros de comprimento e dez de largura...

Exercícios de sintaxe

Resolver exercícios nunca é demais, não é verdade? Por isso, hoje disponibilizo 10 exercícios de sintaxe com gabarito – matéria tão explorada em concursos .  Bons estudos!

1.Na oração: “Foram chamados às pressas todos os vaqueiros da fazenda vizinha”, o núcleo do sujeito é:
a) todos;
b) fazenda;
c) vizinha;
d) vaqueiros;
e) pressas.
2. Assinale a alternativa em que o sujeito está incorretamente classificado:
a) chegaram, de manhã, o mensageiro e o guia (sujeito composto);
b) fala-se muito neste assunto (sujeito indeterminado);
c) vai fazer frio à noite (sujeito inexistente);
d) haverá oportunidade para todos (sujeito inexistente);
e) não existem flores no vaso (sujeito inexistente).
3.Em “Éramos três velhos amigos, na praia quase deserta”, o sujeito desta oração é:
a) subentendido;
b) claro, composto e determinado;
c) indeterminado;
d) inexistente;
e) claro, simples e determinado.
4.Marque a oração em que o termo destacado é sujeito:
a) houve muitas brigas no jogo;
b) Ia haver mortes, se a polícia não interviesse;
c) faz dois anos que há bons espetáculos;
d) existem muitas pessoas desonestas;
e) há muitas pessoas desonestas.
5. Indique a única frase que não tem verbo de ligação:
a) o sol estava muito quente;
b) nossa amizade continua firme;
c) suas palavras pareciam sinceras;
d) ele andava triste;
e) ele andava rapidamente.
6. Considere a frase: “Ele andava triste porque não encontrava a companheira”, os verbos grifados são respectivamente:
a) transitivo direto – de ligação;
b) de ligação – intransitivo;
c) de ligação – transitivo – indireto;
d) transitivo direto – transitivo indireto;
e) de ligação – transitivo direto.
7.Na praça deserta um homem caminhava – o sujeito é:
a) indeterminado;
b) inexistente;
c) simples;
d) oculto por elipse;
e) composto.
8.Na oração:”Anunciaram grandes novidades” – o sujeito é:
a) simples;
b) composto;
c) indeterminado;
d) elíptico;
e) inexistente.
9. “O toque dos sinos ao cair da noite era trazido lá da cidade pelo vento”. O termo grifado é:
a) sujeito;
b) objeto direto;
c) objeto indireto;
d) complemento nominal;
e) agente da passiva.
10.“Eu andava satisfeito com o mundo e comigo mesmo”, o período é:
a) simples;
b) composto por coordenação;
c) composto por subordinação;
d) composto por coordenação e subordinação;
e) composto de duas orações.
GABARITO
1. D
2. E
3. A
4. D
5. E
6. E
7. C
8. C
9. E
10. A

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Atividades






Analise as frases se estão certas ou erradas.

1-A mulher é de feiura tremenda.

2-As meninas estão com enjoos.

3-Ana não pôde ir ontem à escola.

4-A vizinha é totalmente paranóica, vive se preocupando à toa.

5-O estado sempre argui neste tipo de ação.

6- Parabéns por este ato heroico.

7-É importante que meu marido me apoie nesse momento.

8-Os hotéis em que nos hospedamos eram muito bons.

9- Meu filho não gosta de linguiça.

10-Gostou do meu chapéu novo.



finalizando com a turma 08





O site Educar para crescer tem jogos maravilhosos inclusive da Reforma Ortográfica.Assim aprendemos de forma lúdica e prazerosa.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Jogo da reforma ortográfica


JOGO DA REFORMA ORTOGRÁFICA
1) Qual país abaixo tem como língua oficial o português?
a) Paraguai
b) Angola
c) Africa do Sul

2) A partir de que ano as regras antigas não poderão mais ser utilizadas?
a) 2010
b) 2011
c) 2012

3) Quantos países formam a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa)?
a) doze
b) quatro
c) oito

4) Qual país abaixo não tem o português como língua oficial?
a) Guiné-Bissau
b) Serra Leoa
c) Timor Leste

5) Qual é o número aproximado de falantes da língua portuguesa?
a) cem milhões
b) cento e setenta milhões
c) duzentos e quarenta milhões

6) Em que ano ocorreu a última grande reforma no Brasil?
a) 1910
b) 1971
c) 1988

7) Em que ano foi criado o atual acordo ortográfico?
a) 1990
b) 2000
c) 2008

8) Em Portugal chama-se "autocarro" o que aqui chamamos "ônibus". Pergunta-se: na frase "Fiquei esperando na paragem", a palavra "paragem" significa:
a) ponto
b) fila
c) calçada

9) Com a reforma, a palavra "ação" passará a ser escrita em Portugal desta maneira. Atualmente ela é escrita como:
a) hação
b) assão
c) acção

10) Qual dos argumentos abaixo é justificado para justificar a reforma?
a) Unificar o modo de falar dos brasileiros e portugueses.
b) Facilitar a redação de documentos em tratados internacionais e no comércio de livros.
c) Simpĺificar o modo de escrever, que passa a ser igual ao modo de falar.

11) Quais as palavras que perderam o acento agudo?
a) as oxítonas com ditongo aberto.
b) as paroxítonas com ditongo aberto.

12) Na frase "Juca e Paula têm afeto pelos mais velhos", a palavra "têm", de acordo com a reforma ortográfica, está certa ou errada?
a) certa
b) errada

13) Na frase "O menino perdeu a bóia na piscina", a palavra a ser corrigida é:
a) perdeu
b) bóia
c) piscina

14) Qual das palavras abaixo perdeu o acento agudo?
a) herói
b) você
c) estréia

15) Nosso alfabeto passou a ter quantas letras?
a) 23
b) 24
c) 26

16) Quais são as letras que entraram em nosso alfabeto?
a) w
b) w; y
c) k; w; y

17) A frase "Ontem ele não _________ comparecer à aula" deve ser completada com:
a) pode
b) pôde
c) póde

18) Em qual opção todas as palavras estão de acordo com a nova regra?
a) autorretrato; auto-ajuda;
b) contra-regra; micro-ônibus;
c) micro-ondas; antirrugas.









































GABARITO
1
2
3
4
5
6
7
8
9
B
C
C
B
C
B
A
A
C
10
11
12
13
14
15
16
17
18
B
B
A
B
C
C
C
B
C

Exercícios


ATIVIDADES VARIADAS

1)Responda .
a)Por quais motivos ocorreu a reforma ortográfica?

b)Quantas letras têm o alfabeto e quais as letras que entraram?

c)A partir de qual ano a nova ortografia será utilizada como única?

d)Quantos países formam a CPLP(Comunidade dos  Países de Língua Portuguesa)?


2)Complete os espaços com a palavra correta.

a)É __________sua vinda ao museu.(freqüente- frequente)
b)No almoço comi uma___________deliciosa.(lingüiça-linguiça).
c)A_____________está furada(bóia-boia)

d)A moça é ______________(europeia-européia)

3)Acentue as palavras quando necessário e justifique sua resposta.

a)boia____________________________________________
b)jiboia__________________________________________
c)estreia__________________________________________
d)papeis__________________________________________
e)herois__________________________________________
f)joia____________________________________________
g)coreia__________________________________________
h))baiuca__________________________________________
i))creem________________________________________


4)Por que as palavras para e pelo não recebem o acento diferencial?

5)Coloque um X na resposta correta e justifique:

(   ) Autoescola
(   ) Auto-Escola
____________________________________


(   ) Inter-relacionado
(   ) Interrelacionado
____________________________________


(   ) Infra-estrutura
(   ) Infraestrutura
____________________________________

(   ) Panamericano
(   ) Pan-americano
___________________________________

(   ) Anti-inflamatório
(   ) Antiinflamatório
__________________________________


(   ) Pós-graduação
(   ) Pósgraduação

O que mudou?



Trema – desaparece em todas as palavras                             
Antes
Depois
Freqüente, lingüiça, agüentar
Frequente, linguiça, aguentar
* Fica o acento em nomes como Müller
  


Acentuação 1 – some o acento dos ditongos abertos éi, e ói das palavras paroxítonas (as que têm a penúltima sílaba mais forte)
Antes
Depois
Européia, idéia, heróico, apóio, bóia, asteróide, Coréia, estréia, jóia, platéia, paranóia, jibóia, assembléia
Europeia, ideia, heroico, apoio, boia, asteroide, Coreia, estreia, joia, plateia, paranoia, jiboia, assembleia
* Herói, papéis, troféu mantêm o acento (porque têm a última sílaba mais forte)






Acentuação 2 – some o acento no i e no u fortes depois de ditongos (junção de uma vogal com      uma semivogal), em palavras paroxítonas
Antes
Depois
Baiúca, bocaiúva, feiúra
Baiuca, bocaiuva, feiura
* Se o i e o u estiverem na última sílaba, o acento continua como em: tuiuiú ou Piauí
  


Acentuação 3 – some o acento circunflexo das palavras terminadas em êem e ôo (ou ôos)
Antes
Depois
Crêem, dêem, lêem, vêem, prevêem, vôo, enjôos
Creem, deem, leem, veem, preveem, voo, enjoos










Acentuação 4 – some o acento diferencial
Antes
Depois
Pára, péla, pêlo, pólo, pêra, côa
Para, pela, pelo, polo, pera, coa
* Não some o acento diferencial em pôr (verbo) / por (preposição) e pôde (pretérito) / pode (presente). Fôrma, para diferenciar de forma, pode receber acento circunflexo









Acentuação 5 – some o acento agudo no u forte nos grupos gue, gui, que, qui, de verbos como averiguar, apaziguar, arguir, redarguir, enxaguar
Antes
Depois
Averigúe, apazigúe, ele argúi, enxagúe você
Averigue, apazigue, ele argui, enxague você
Observação: as demais regras de acentuação permanecem as mesmas








Hífen – veja como ficam as principais regras do hífen com prefixos:
Prefixos
Usa hífen
Não usa hífen
Agro, ante, anti, arqui, auto, contra, extra, infra, intra, macro, mega, micro, maxi, mini, semi, sobre, supra, tele, ultra...
Quando a palavra seguinte começa com h ou com vogal igual à última do prefixo: auto-hipnose, auto-observação, anti-herói, anti-imperalista, micro-ondas, mini-hotel
Em todos os demais casos: autorretrato, autossustentável, autoanálise, autocontrole, antirracista, antissocial, antivírus, minidicionário, minissaia, minirreforma, ultrassom
Hiper, inter, super
Quando a palavra seguinte começa com h ou com r: super-homem, inter-regional
Em todos os demais casos: hiperinflação, supersônico
Sub
Quando a palavra seguinte começa com b, h ou r: sub-base, sub-reino, sub-humano
Em todos os demais casos: subsecretário, subeditor
Vice
Sempre:
vice-rei, vice-presidente

Pan, circum





Quando a palavra seguinte começa com h, m, n ou vogais: pan-americano, circum-hospitalar
Em todos os demais casos: pansexual, circuncisão

A história do Acordo Ortográfico


Reforma ortográfica


O Acordo Ortográfico da Língua
Portuguesa objetiva facilitar a redação de documentos em tratados internacionais e no comércio de livros.
 Além do Brasil e Portugal, as mudanças também atingem Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé ,
 Príncipe e Timor-Leste.
A unificação do português utilizado no Brasil e nas outras sete nações vai garantir maior visibilidade ao idioma, que atualmente é a sétima língua mais falada no mundo, temos hoje aproximadamente duzentos e quarenta milhões de falantes da Língua Portuguesa, ficando atrás apenas dos idiomas chinês, hindi, inglês, espanhol, bengali e árabe.
Criado em 1990, após a decisão de representantes das oito nações em simplificar a grafia e unificar as regras, o acordo só entrou em vigor em 2009 após a ratificação dos termos da proposta por três países, que só ocorreu em 2006.
As regras do acordo foram estabelecidas pelo o decreto de No. 6583, publicado em 29 de setembro de 2008, que promulgou no Brasil o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.
O Acordo é resultado de uma negociação longa entre a Academia de Ciências de Lisboa e a Academia Brasileira de Letras, que teve início da década 80.
Até dezembro de 2012, os países terão que se ajustar às novas regras. Nesse período, serão consideradas corretas as duas formas ortográficas.

Poema "O uso do hífen"


O USO DO HÍFEN EM VERSO


AlICE COSTA


O HÍFEN PARA SER ESTUDADO
TEM QUE TER MUITO CUIDADO
NOS PREFIXOS: INTER,HIPER E SUPER
ELE CONTINUA, HIPER-REQUINTADO

QUANDO O PREFIXO É: CONTRA, ANTI, EXTRA
AUTO E INFRA
JUNTA-SE ELE A PALAVRA DE VOGAL DIFERENTE:
AUTOESTRADA, INFRAESTRUTURA,EXTRAESCOLAR
ELE CAI FORA
PARA APRENDER É SÓ ESTUDAR

AS PALAVRAS QUE PERDERAM
A NOÇÃO DE COMPOSIÇÃO:
GIRASSOL,MADRESSILVA E PONTAPÉ.
O HIFÉM NÃO É USADO NÃO.

O HÍFEN É EXIGENTE
DIANTE DE PALAVRAS INICIADAS POR H
ELE CONTINUA MANDANDO
COMO EM: ANTI_HIGIÊNICO, MINI-HOTEL
E SOBRE-HUMANO
MAS TEM EXCEÇÃO:INÁBIL E SUBUMANO.

A EXIGÊNCIA PERMANECE
QUANDO O PREFIXO TERMINA EM VOGAL
E O SEGUNDO ELEMENTO TAMBÉM
É SÓ PRESTAR ATENÇÃO,
ANTI-IBÉRICO,MICRO-ONDAS E AUTO-OBSERVAÇÃO

O HÍFEN E RADICAL
NO PREFIXO TERMINADO EM CONSOANTE
E O SEGUNDO ELEMENTO TAMBÉM
ELE É USADO NOVAMENTE
SUPER-RACISTA,SUPER-RESISTENTE, INTER-RACIAL
É SÓ TER MUITO CUIDADO
QUANDO FOR ESCREVER SUB- BIBLIOTECÁRIO

NOS PREFIXOS: EX, SEM, ALÉM
USA-SE O HÍFEN TAMBÉM
EX-ALUNO,EX-PREFEITO, EX-DIRETOR
COMO EM PALAVRAS COMPOSTAS
SEM ELEMENTO DE LIGAÇÃO
ANO-LUZ,AZUL-ESCURO,BEIJA-FLOR

É SÓ QUESTÃO DE TEMPO E ADAPTAÇÃO
QUE ESTAREMOS USANDO O HÍFEN
SEM GRANDE CONFUSÃO

Meu blog de cara nova!

Que tal a nova cara?

terça-feira, 29 de maio de 2012